domingo, 31 de agosto de 2008

Web 2.0 e educação

A Internet como a conhecemos, com sua imensa variedade de conteúdos disponíveis para consulta, está se transformando e um novo paradigma se apresenta. Se antes, mudar de um site para outro através dos hiperlinks com um simples clique era algo fantástico, agora, de usuários passamos também a produtores de conteúdos. Colaboração é a palavra-chave da chamada Web 2.0 proporcionando ao usuário uma verdadeira democratização de uso da web, em que é possível não apenas acessar o conteúdo, mas também transformá-lo - reorganizando, classificando, compartilhando e, principalmente, possibilitando a aprendizagem cooperativa, o que, segundo Pierre Lévy, vai nos permitir construir uma inteligência coletiva.

O professor deixa então de ser o detentor do saber e transmissor de conteúdos, passando a ser o facilitador, aquele que estimula nos alunos a cultura de divulgar e debater idéias e que não apenas ensina, mas também aprende.
Há vários recursos web 2.0 que o professor pode utilizar para ampliar a capacidade dos alunos de elaborar textos, pesquisar sobre um assunto, emitir opinião e debater com outros usuários.

Web 2.0 - A máquina somos nós

O vídeo foi feito pelo Lidec (Laboratório de Inclusão Digital e Educação Comunitária - http://www.lidec.futuro.usp.br) da Escola do Futuro da USP (http://www.futuro.usp.br) e produzido por Dani Matielo e Vivian Pereira

Blogs na educação

Uma das primeiras ferramentas de Web 2.0 são os blogs. Pela facilidade de edição, uma vez que não são necessários conhecimentos técnicos de construção de páginas, os blogs são uma excelente ferramenta educacional que permite a professores e alunos publicarem na Internet textos, narrativas, registros de aprendizado, notícias, poemas, análise de obras literárias, opinião sobre atualidades, relatórios de visitas e excursões de estudos, fotos, desenhos, vídeos e o que mais a imaginação permitir. A partir do sistema de comentários, o visitante é convidado e emitir sua opinião sobre os posts ou publicações, fazendo com que os alunos reflitam mais profundamente sobre os conteúdos, o que favorece o desenvolvimento do pensamento crítico, da reflexão, da leitura e, conseqüentemente, da escrita.
Os blogs podem ser desenvolvidos pelos professores, pelos alunos ou por grupos reunidos em torno de um projeto comum. As publicações são apresentadas em ordem cronológica inversa, assinadas e com a data de publicação, tal como nos antigos diários.

Um comentário:

Fabiana Tonsis disse...

Eu concordo com o professor Prof. José Carlos Antonio,que diz em seu blog "Um professor digital é aquele que possui habilidades para fazer um bom uso do computadores para ele mesmo e, por extensão, é capaz de usá-lo de forma produtiva com seus aluno", pois nos educadores nao podemos cruzar os bracos, nos negarmos a mudar nossa metodologia de ensino, continuarmos na era giz, quando ao nosso redor existe a era da informatica que possui ferramentas de simples uso como o blog ate as mais complexas. Como podemos querer que nossos alunos aprendam o novo, se muitos de nós temos medo de encarar o novo?